Investimentos Seguros (com baixo risco) – Parte 1

No último texto falamos sobre o cuidado que temos que ter em relação à nossa aposentadoria. Onde eu não indico depender somente do dinheiro do INSS.

Com isso, venho neste texto detalhar um pouco algumas formas de investimento simples e seguro:

POUPANÇA

Certamente todos vocês cresceram sabendo o que é uma Poupança. Durante muito tempo escutamos que a melhor forma de cuidar do nosso dinheiro e guardar na Poupança. Abaixo, iremos entender um pouco mais desta modalidade de investimento.

Também chamadas de Cadernetas de Poupança, são historicamente destinados a pequenos depositantes e investidores financeiros. A Caderneta de Poupança é um dos investimentos mais tradicionais, se não o maior, em função da segurança que ele garante. Atualmente temos 76% dos Brasileiros investindo na Poupança.

Porém este investimento não oferece uma remuneração atraente.

Outro ponto interessante é que a rentabilidade da Poupança é definida pelo Banco Central, assim todos os bancos praticam, obrigatoriamente, a mesma taxa de rentabilidade.

Bom, desde 1861 até 2012 a Poupança tinha um rendimento assegurado de 6% ao ano. A partir de 2013 a Taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) passou a exercer influência na rentabilidade da Caderneta.

O rendimento da Poupança é baixo, com uma taxa de 0,5% ao mês mais a Taxa TR (Taxa de Referencial, que surgiu na década de 90 para controlar a inflação durante o Plano Color II, hoje esta taxa está em 1,06%) calculada pelo Banco Central. Desde 2010 a rentabilidade da Poupança não de 2% de retorno real.

O que significa este Retorno Real?

Retorno Real é a rentabilidade da Poupança descontado da inflação, assim você pode avaliar de seu dinheiro ganhou valor ou perdeu valor (vide quadros abaixo)

Algumas Vantagens:

  • A Poupança está vinculada a conta corrente, então para fazer o investimento não é necessário novo cadastro;
  • A Poupança é livre do Imposto de Renda, atenção: é necessário relatar este valor na declaração do Imposto de Renda na parte de Rendimentos isentos.
  • Não há quantia mínima para investir;

Algumas Desvantagens:

  • Apesar de poder realizar o resgaste diário, a poupança rende somente a cada 30 dias a partir do dia em que investiu;
    • Se o dia depositado na Poupança for entre 29, 30 e 31, a remuneração do valor investido será sempre no 1º dia do próximo mês.
  • Os juros são contabilizados sempre com o menor valor na Poupança. Se iniciou o mês com R$1.000,00 e no dia 27 deste mês você retirou R$500,00, os juros serão em cima do dinheiro que ficou na conta, ou seja, em cima dos R$500,00.
  • Baixa rentabilidade

Ex. Se você aplicou R$100,00 na poupança no dia 02/10/2017 e não movimentou este dinheiro até o dia 02/10/2017, teve um ganho de 0,47%, ou seja, seu saldo será de R$100,47. Com estes R$100,00 investidos em 1 ano o ganho seria de R$7,44. Você ficaria com R$107,44.

Vejam abaixo o ganho que a Poupança ofereceu aos seus investidores nos últimos 5 anos:

 

Ano Retorno Absoluto (%) Retorno Real (%)
2012 6,47 0,60
2013 6,37 0,43
2014 7,16 0,71
2015 8,07 (2,34)
2016 8,30 1,89

 

Em função de uma inflação e taxa de Selic alta, quem tinha dinheiro na Poupança, em vez de ganhar, perdeu 2,34% do valor investido.

 

Veja no quadro abaixo os rendimentos reais da Poupança neste ano:

Rendimentos Poupança 2017

Mês Retorno Absoluto (%) Retorno Real (%)
Janeiro 0,67 0,29
Fevereiro 0,53 0,20
Março 0,65 0,40
Abril 0,50 0,36
Maio 0,58 0,27
Junho 0,55 0,78
Julho 0,56 0,32
Agosto 0,55 0,36
Setembro 0,50 0,34
Acumulado 5,21 3,37

 

No meu ponto de visto, a Poupança não é a melhor forma de investir o seu dinheiro. Ainda mais que o nosso objetivo é ter uma aposentadoria tranquila financeiramente.

No próximo texto irei explorar melhores formas de investimentos seguros e com uma maior rentabilidade.

Um forte abraço,

Aposentadoria é logo ali!

Quero começar este texto com uma pergunta:

Você já se programou para a aposentadoria?

No Brasil, temos muitas pessoas preocupadas com a aposentadoria e poucas pessoas se preparando para ela…

Para se ter uma ideia, em Minas Gerais, temos uma população de mais de 21 milhões de pessoas, 12% deste total é considerado idoso (acima de 60 anos).

Em 2030, em Minas Gerais, a população idosa será de, aproximadamente, 18% da população. Em 2050, aproximadamente, 30% da população, que nos números atuais, seriam mais de 6 milhões de pessoas. E nós estamos nestas estatísticas!

A tendência mostra que, a partir de 2040, a população brasileira poderá diminuir. Como base desta informação, vem a taxa de filhos por mulheres. Em 1940, cada mulher tinha, em média, 6 filhos, 4,35 filhos em 1980, 2,39 filhos em 2000 e 1,74 filhos em 2014.

Tem também a expectativa de vida, onde os brasileiros tinham uma expectativa de vida em 1940 de 45,5 anos e, em 2015, essa expectativa pula para 75,5 anos, em média.

Em um futuro próximo, serão mais pessoas utilizando os recursos da previdência privada, usando mais recursos médicos, precisando cada vez mais de auxílio em mobilidade, etc. E é notória a necessidade de melhorias nestes setores para a população idosa.

Quando pensamos em aposentadoria, pensamos sempre na previdência, que são valores gerados da contribuição dos trabalhadores para o INSS (Instituto Nacional do Serviço Social), órgão regulador da previdência social.

A previdência oferece um retorno muito baixo para os trabalhadores na sua aposentadoria, de tal forma que o estilo de vida cai muito em relação ao período de atividade profissional.

Hoje, o teto da previdência é de R$5.531,31. Para isso, os trabalhadores, formais ou informais, precisam contribuir, mensalmente, o equivalente a 20% deste valor (R$1.106,26) e, pelo menos, 80% das contribuições ao longo da vida deve corresponder a este percentual. Outro exemplo, quem contribui com 20% do salário mínimo, R$374,80, receberá dois salários mínimos R$1.874,00.

Um perigo citado por alguns especialistas é que, com a população mais idosa, teremos um déficit nos cofres públicos (se é que precisa da população envelhecer para este déficit) e outros defendem que o Brasil não terá este problema para a previdência, em função do alto número de trabalhadores que contribuem com o INSS. Dessa forma, o Brasil terá o dinheiro para pagar a previdência de acordo com cada contribuição dos aposentados.

Porém, vivemos de forma cíclica com crises econômicas e políticas (e estamos dando passos lentos para a saída da maior crise econômica e política do país), com perdas de emprego. Com isso, a maioria da população exerce uma atividade econômica com trabalhos informais e sem contribuir com a previdência social, causando um elevado gasto público.

De qualquer forma é importante nos planejarmos para termos outra fonte de renda na aposentadoria. Temos diversas opções de investimentos com rentabilidades interessantes para usufruirmos no futuro.

Quando se pensa em investimento, guardar dinheiro, logo vem a poupança na cabeça. A poupança que é uma das formas mais seguras para se investir.

Porém, a poupança nem sempre proporciona ganhos financeiros. Pode ocorrer, como no auge desta crise, o dinheiro perder valor.

Neste texto, quis mostrar o quão crítico é chegarmos na nossa aposentadoria sem estarmos preparados. A previdência privada, sozinha, não irá nos auxiliar neste período.

Não trabalhamos tanto para chegar na fase idosa e passar dificuldades, para sofrer. Precisamos aproveitar a vida. Termos condições de comprar nossos remédios, de realizar nossas viagens, de podermos ter uma casa para receber nossos netos, de podermos ir naquele melhor restaurante, de podermos nos oferecer um momento de tranquilidade.

No próximo texto irei citar alguns investimentos para quem não gosta de correr riscos.

Fiquem atentos!

Um forte abraço!!!!

Quer ser rico ou quer ser feliz?

 

CALMA!!!!!!!

Não estou falando que os dois não podem andar juntos, aliás podem e devem andar juntos.

Podemos unir um caminho de felicidade ao mesmo tempo que buscamos a riqueza. O planejamento financeiro vem mostrar um caminho de como lidar com o dinheiro. Esse plano pode proporcionar uma família mais rica e com menos problemas ao longo da vida, resumindo, um futuro financeiramente estável e seguro.

Fiquem atentos, chegar neste patamar não é fácil. Pode ser que tenham que passar por grandes dificuldades para chegar no nível ótimo de vida, ou seja, sempre terá dúvidas, frustrações, algumas perdas, várias revisões do planejamento. Porém, reforço a importância de todos da família estarem trabalhando para o mesmo objetivo!

Parece uma excelente ideia para quem tem um orçamento que, ao final do mês, possa juntar dinheiro para investir, pois este pensamento não está correto. Mesmo aquelas famílias que dispões de tempo e recursos limitados podem também serem ricas e felizes, claro que será com mais esforço para o alcance dos objetivos.

Quem possui um orçamento contado, peço encarecidamente não desanimar. Sei que, dessa forma, a luta é para fechar as contas. Neste caso, o planejamento pode mostrar onde, de repente, possa existir gastos que podem ser cortados. Com este planejamento trace um plano de ação e o coloque em prática na medida do possível. Talvez não consiga uma independência financeira dentro de um prazo razoável, porém, não desista ou desanime.

O planejamento servirá para que não passe dificuldades com contas básicas como moradia, alimentação e educação. Caso a aplicação financeira acumulada não dê oportunidade de viver dos rendimentos, ao menos, permitirá realizar alguns sonhos e objetivos, como um próprio negócio e trabalhar com o que gosta.

Na nossa rotina diária estamos sujeitos a riscos e, caso aconteça algo não programado, vocês serão forçados a utilizar grande parte dos recursos investidos. Também para estas situações o compromisso com o planejamento deve ser bem disciplinado. Assim, os efeitos não podem ser evitáveis, porém, minimizados.

Abaixo alguns exemplos de riscos:

  • Mesmo tendo convênios ou planos de saúde, estamos sujeitos a doenças graves e a acidentes;
  • Mesmo com investimento em segurança, não estamos completamente imunes em relação às ações externas. Podem minimizar roubos e assaltos;
  • Mesmo que tenha um fundo de reserva para a troca do carro, pode ser que aconteça um problema mecânico com o atual e seja preciso boa parte deste fundo para consertá-lo;
  • Mesmo que tenhamos ótimas casas, não estamos imunes a desastres naturais, o que pode acarretar a perda do patrimônio.

Abaixo, segue uma lista de 10 passos para equilibrar as finanças e multiplicar o dinheiro:

  1. Negociação de dívidas;
  2. Eliminação de dívidas não programadas;
  3. Fortalecimento do crédito;
  4. Formação de uma reserva financeira;
  5. Melhorar a qualidade do consumo (Consumo consciente);
  6. Planejamento para uma aposentadoria tranquila;
  7. Poupar todo mês para objetivos de curto e médio prazos;
  8. Sempre pesquisar/estudar sobre investimento;
  9. Envolvimento com o mercado de investimentos;
  10. Administração financeira, achar o ponto de equilíbrio.

 

O mais importante é que todos tenham em casa conversas frequentes sobre a situação financeira, objetivos financeiros, metas e planos, já que, para qualquer caminho que formos seguir, precisamos de apoio e a família é a base de apoio para todos nós.

A felicidade não depende do emprego, do investimento, em não ter dívidas, a felicidade depende única e exclusivamente de você. O futuro está em suas mãos!!!!!!

No próximo texto falaremos sobre investimentos!!!

Um forte abraço,

Cheque Especial não é salário!!!!!!!

Quando visualizamos a nossa conta pelo Internet Banking ou quando tiramos um extrato, podemos perceber que temos a informação do saldo da conta corrente, saldo bloqueado, encargos, limite de cheque especial e saldo total disponível (não necessariamente nesta ordem e nem com estes nomes).

E vai chegando ao final do mês e vemos no saldo total disponível um valor bem maior que o verdadeiro e este valor pode variar de pessoa a pessoa e de banco para banco.

Este saldo total disponível é o crédito que o banco fornece chamado de Cheque Especial.

Ex.

Você possui um salário de R$1.000,00.

Os seus gastos mensais ficam exatamente R$1.000,00

O banco lhe forneceu um cheque especial de mais R$1.000,00

Assim, se você ganha R$1.000,00 e gasta R$1.000,00 terá no final do mês R$0,00, porém com o cheque especial o seu extrato mostrará que terá R$1.000,00 livres para utilização.

E chegar no final do mês e ver que ainda temos dinheiro para usar é bem tentador.

Peço bastante cuidado com este credito fácil que o banco fornece, basicamente o mesmo cuidado com o crédito do Cartão de Crédito (já citado em artigo neste blog).

Em agosto de 2017 os juros do Cheque Especial estavam em 317,3%. Juros altíssimos. Daremos exemplo do que estes juros podem representar.

Primeiro quero esclarecer o motivo destes juros: por ser um crédito de fácil acesso, o banco não tem a certeza e nem garantia de que você irá pagar por este empréstimo. Assim é cobrada uma taxa alta pelo risco que o banco corre.

Caso você precise utilizar o Cheque Especial é de grande importância que o valor utilizado seja quitado o quanto antes, senão a dívida se transformará em uma assustadora bola de neve.

Vamos ao Exemplo.

Sendo utilizados R$1.000, do Cheque especial, tal valor que é o limite do exemplo acima.

Se utilizou R$1.000,00 do Cheque Especial e recebeu de Salário os R$1.000,00 (como no exemplo) você teria quitado esta dívida certo? Errado!!!! Você ainda estaria no negativo, veja a matemática abaixo:

R$1.000,00 de cheque especial, aos juros atuais de 317,3% a.a., você estaria devendo ao banco no próximo mês R$1.135,30 (que são os R$1.000,00 mais os 13,53% a.m). Assim, quando você receber o salário a sua conta estará no negativo R$135,30.

Neste exemplo, se você não tiver renda extra, não conseguirá honrar todos os compromissos do próximo mês. E com isso a sua dívida estará bem maior que o seu recebimento.

Importante que tenhamos em mente que este crédito do Cheque Especial não é extensão do nosso salário

Ficar endividado pelo Cheque Especial é entrar num barco sem fundo, ou seja, sempre afundando a cada dia.

Algumas dicas para poder resolver os problemas com o cheque especial:

  • Vá até o banco e converse com o gerente, para saber a real situação da conta corrente. Neste momento, exponha a condição financeira atual e solicite uma negociação que possa caber no seu bolso;
  • Não tendo condições de ir quitar integralmente a dívida, solicite uma negociação com suaves parcelas mensais. Parcelas que possam caber no seu bolso. Para este caso, seria um empréstimo com um prazo bem extenso. Nunca é interessante ter uma negociação muito longa, mas temos que pensar neste momento em resolver o problema que possa caber no bolso. Se fizer uma negociação que não caiba no seu bolso estará gerando outra dívida;
  • Uma outra saída é a utilização do crédito consignado, já que nesta modalidade a taxa de juros é bem menor. A utilização do crédito consignado é a praticidade e segurança pela parcela ser deduzida diretamente da folha de pagamento;
  • Existe também a portabilidade de crédito, você pode transferir a sua dívida do Cheque Especial para outra instituição financeira que tenha os juros menores que os atuais. Esta portabilidade é de forma gratuita e você tem a liberdade de escolher um novo banco. Antes da portabilidade analise os prós e contras e os principais pontos a checar é a possibilidade de isenção do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e a redução do valor das parcelas
  • Caso você seja impulsiva para compras uma ação interessante é cancelar o Cheque Especial, já que negociar a dívida ou diminuir o limite de crédito não serão ações suficientes. O cancelamento pode auxiliar em relação as tentações e fugir de um endividamento maior.
  • Utilize verbas extras como o 13º, férias, abonos, gratificações para quitar as parcelas negociadas para poder sair o quanto antes desta dívida de cheque especial

 

É preciso fazer um grande esforço para pagar as dívidas e depois deste período você poderá respirar aliviada e sem pendências crescentes, ou seja, ter de voltas as boas noites de sonhos tranquilos

Espero que eu tenha ajudado entender um pouco sobre o Cheque Especial!

Problemas financeiros afeta diretamente a nossa saúde, nossos relacionamentos, nossas noites de sono, nosso apetite, nossa empolgação, nosso entusiasmo. Caso esteja passando por um problema destes, lembre-se: que você tem a solução nas mãos e talvez estas soluções serão um pouco dolorosas e outras nem tanto, mas o importante é que você tem uma solução.

 

Um forte abraço

 

Mãe, educação financeira e filhos

Vocês sabem qual a importância da Mãe na educação dos seus filhos? Ahh, essa pergunta é muito fácil responder. As mães são a base fundamental para os filhos; as mães se desdobram em 1 milhão para oferecer o melhor aos filhos; as mães são bravas pensando no melhor para os filhos; as mães são chatas pensando no melhor para os filhos; as mães são meigas pensando no melhor para os filhos; mães trabalham (em casa, fora ou os dois) pensando no melhor para os filhos. Bom, resumindo, as mães são a base dos filhos!

E agora, outra pergunta: vocês sabem qual a importância da mãe na educação financeira dos filhos? Hummmmm, talvez a resposta desta pergunta seja regada de algumas incertezas.

A educação financeira está embutida em tudo o que as mães fazem, porém, podem passar despercebidos alguns detalhes importantes na rotina do dia-a-dia.

Geralmente, as mães tomam decisões econômicas todos os dias e, por estarem mais próximas aos filhos, estas decisões são observadas e percebidas pelas crianças. O que significam estas decisões econômicas:

  • Lista de compras de Supermercados;
  • Evitar desperdícios domésticos;
  • Reforma da casa;
  • Vestuário;
  • Festas;
  • Encontros;

As decisões saudáveis terão reflexos saudáveis nos filhos, porém, existe o mesmo impacto quando não são tomadas as melhores decisões.

É claro que os pais também possuem posições importantes neste assunto. Porém, é notório que, em sua maioria, as mães que trabalham fora ou não possuem uma posição mais firme em relação aos filhos, influenciam menos positivamente. Tem também a questão que, segundo o Censo Demográfico de 2010, o país possui 87% das famílias sem cônjuge e com filhos e estas famílias são chefiadas pela mulher.

Vamos a alguns pontos em relação à educação financeira para você, que é mãe, apoiar mais ainda os filhos:

 

 

  • Exemplo
    • Primeiro passo é ter o gerenciamento das suas finanças, conhecer a fundo as entradas e saídas do dinheiro;
      • Mostrar que você possui domínio do dinheiro, passa tranquilidade e confiança para os filhos. Lembre-se: Exemplo é tudo!
    • Pagar os compromissos em dia.
      • Os filhos sentem quando você fica sendo cobrada por algo que já devia ter pago. Eles (filhos) ficam preocupados e sem saber o que fazer. Lembre-se: Exemplo é tudo!
      • Caso esteja em atraso, procure saídas para poder regularizar a sua vida financeira. Não deixe para depois, senão depois será bem pior que agora.
    • Evite desperdícios, faça consumo de forma consciente;
      • Com esta ação de consumo consciente, você estará dando um grande recado para os filhos em relação ao que consumir, seja em compras em Supermercado, em quantidade de alimentos deixados no prato, etc.
      • Ao contrário, você estará mostrando que o seu filho poderá ser livre para fazer o que bem entender. Sem regras!! Lembre-se: Exemplo é tudo!

 

  • Prática de compensação
    • Presentes e mimos para os filhos em função de uma “falta” (trabalha fora, estuda fora, etc) não é a melhor opção para uma educação financeira. Este tipo de atitude pode fazer com que o seu filho fique insaciável, sem controle de impulsos e desejos. Quando o filho for menor você ainda terá como gerenciar, porém, quando chegar na pré-adolescência, este poderá sofrer grandes problemas por esta falta de educação financeira, ou seja, o filho vai achar, sempre, que precisará ter mais e mais e irá utilizar a sua falta para conquistar o quer.
    • Mas, o que fazer? Quando estiver em casa, dê atenção! Brinque, faça passeios (no parque, numa praça), tome café junto na mesa, o mesmo, no almoço. Nestes momentos, conte como foi no trabalho ou na escola e faça com que eles contem a rotina deles (assim, você terá momentos incríveis com seus filhos).
    • Devem pensar: “Nossa, mas eu chego tão cansada” “Fico tão cansada que às vezes fico muito irritada” e, nestas horas, os presentes seriam os calmantes. Mesmo se sentindo assim, se forcem a passar estes tempos com os filhos. Aproveitem os sorrisos de alegria, os gritos de felicidade, os choros por causa de um tombo. Preferível isso do que o silêncio de alguém no Vídeo Game, celular de última geração, etc.
    • Não sou especialista neste assunto, mas vale muito mais um grande esforço de passar este tempo com os seus filhos e vê-los crescer do que chegar em um momento da vida e dizer: “Nossa, como ele cresceu!!!!”

 

  • Limites
    • Para mim, a melhor educação para os filhos é a prática do Não. O não ensina os filhos a darem valor às conquistas. A Frustação é importante para amadurecimento das crianças. Elas entenderão que não poderão comprar tudo o que querem e, sabendo disso, não terão desilusões no futuro.
    • Façam um esforço para suportar aquela birra ensurdecedora e se manterem firmes. Quando uma criança quer algo, sai de baixo… rsrsrs. Mas sejam fortes, não é não e pronto!!!!!

 

  • Você!
    • Até aqui falamos tudo aquilo que as mães devem fazer pelos filhos. Dei sugestões para vocês se desdobrarem ainda mais… rsrsrs
    • Porém, nunca, mas nunca, deixem de cuidar de vocês. Reservem um tempo para vocês, um tempo para a saúde, para cuidar da beleza mental, física, espiritual e emocional.
    • Quanto mais feliz estiver com você, mais equilíbrio passará para os filhos e a quem estiver a sua volta. E este equilíbrio os tornarão menos compulsivos e ansiosos.
    • Então, vá a academia, vá ao salão de beleza, vá se cuidar espiritualmente. Procure ficar um tempo só, isso é de grande importância para você conversar só com você nestes dias corridos que possuem. Você precisa ser a sua melhor amiga!!!

Quero terminar reforçando que, uma conversa franca sobre as finanças familiares com a família trarão todos envolvidos para o mesmo objetivo, mesmo sonho e todos comemorarão as mesmas conquistas e se ajudarão em caso de desvios.

Você quer voar mais alto?

 

Cartão de Crédito: Vilão ou Solução?

Como todos já sabem, o Cartão de Crédito é uma forma de pagamento eletrônico, um cartão de plástico que pode conter ou não um chip. Este cartão possui superpoderes. Tais poderes podem ser bem mais fortes que os nossos. O cartão pode te dominar tanto positiva quanto negativamente.

Hoje, podemos adquirir um cartão de crédito através de instituições financeiras, lojas de departamento (como exemplo, o Cartão Renner), etc. Não é preciso ter conta corrente para ter um cartão. O cartão contém um crédito para o usuário, cujo montante é de acordo com a renda do solicitante. Não existe uma receita de bolo para a liberação deste crédito, cada instituição possui a sua sistemática (não iremos aprofundar neste mérito por não ser o foco).

Assim, o valor da compra não pode ultrapassar os limites pré-estabelecidos, sendo que, caso se compre parcelado, as parcelas a vencer também comprometem o limite do cartão. Ex.: caso uma compra de um produto seja de R$1.000,00 dividido de 5x com parcelas de R$200,00 e o limite do cartão é de R$2.000,00, neste caso, você ainda teria disponível R$1.000,00 (que é o valor limite do cartão – o valor total da compra) e não R$1.800,00 (que é o valor limite do cartão – o valor da parcela). No próximo mês, o seu saldo passará para R$1.200,00 (que é R$1.000,00 do saldo anterior + R$200,00 da 1ª parcela que foi quitada).

Vamos a alguns importantes pontos sobre o Cartão de Crédito:

  • Flexibilidade no pagamento
    1. Você pode fazer uma compra hoje e pagar daqui a 30 dias
    2. Esta forma é interessante para quem tem disciplina financeira, já que não quitar a fatura do mês em sua totalidade gera um grande problema financeiro, os juros do cartão de crédito são os mais abusivos do Brasil.

Veja esse simples exemplo:

– O limite do cartão de crédito é de R$1.000,00.

– Limite utilizado no mês foi, em sua totalidade, R$1.000,00.

– Foi pago no mês somente R$500,00.

Assim:

Fatura aberta: R$500,00

Juro de crédito rotativo: 15,12%am, gerando um valor de R$75,60 (R$500,00*15,12%)

Juro por atraso: 2%, gerando um valor de R$10,00 (R$500,00*2%)

Juro de mora: 1%, gerando um valor de R$5,00 (R$500,00*1%)

Fatura do próximo mês: R$590,60

Caso ainda não pague esta fatura no próximo mês será juros sobre juros, ocasionando uma bola de neve sem fim.

  • Parcelamento
  1. Este ponto é muito útil para quem quer e/ou precisa realizar uma compra de alto valor, que facilita muito na questão do controle financeiro, já que, assim, não é retirado uma alta quantia da conta corrente ou de algum investimento.
  2. Dependendo da instituição ou da quantidade de parcelas é cobrado juros desta compra, o que aumenta o valor de compra. Esse acréscimo de juros acontece pelo fato dos estabelecimentos repassarem o custo das taxas da operadora da maquininha de cartão, que podem variar de 1,2% a 2,9% am.

Com isso, é vital conferir o valor na hora da compra. Ocorre que, no ato da compra (seja nos estabelecimentos ou nos sites), recebemos a promessa de parcelamento sem juros que nem sempre são respeitados. Caso identifique cobrança errônea de juros, deve-se entrar em contato com a empresa na qual a compra foi realizada e solicitar a correção dos valores. Geralmente, a empresa estorna o valor e, posteriormente, é feito o lançamento de uma nova compra, com o valor correto.

Disponibilidade de Crédito

  1. O Cartão de crédito é a modalidade de empréstimo mais fácil de adquirir do mercado, ou seja, junto com o cartão vem uma quantia disponível para ser utilizada da melhor maneira. Isso é muito positivo desde que esse crédito seja usado de maneira consciente.
  2. É extremamente importante entender que este crédito não é uma extensão do seu salário. Como já citado neste artigo, quando utilizamos este valor, devemos pagar por isso e reforço que a quantia utilizada no cartão seja paga em sua totalidade. Não sendo paga, vimos que existe uma cobrança muito alta de juros. O Cartão de Crédito possui a taxa mais cara do mercado de crédito brasileiro.
  • Uso internacional
    1. A maioria dos cartões são internacionais, ou seja, você pode ir para qualquer país do mundo sem precisar de solicitar algum cartão adicional. Sendo assim, você consegue sacar dinheiro local, alugar serviços, restaurantes e etc.
  • Benefícios
    1. Com a concorrência, a maioria das bandeiras de cartão de crédito oferecem benefícios como prêmios, descontos, bônus e milhas.

Neste artigo quis mostrar as vantagens e desvantagens de um cartão de crédito. Espero que todos tenham em mente que o crédito que consta no cartão não é uma extensão do seu rendimento e que a instituição que te forneceu este cartão te cobra muito caro em caso de inadimplência.

Como base de informação, até o final do ano de 2016, o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) cita em sua análise que existem 58,3 milhões de brasileiros inadimplentes em relação ao Cartão de Crédito. Esse número representa 39% da população adulta.

Vamos a algumas dicas:

  • Utilizem o Cartão de Crédito somente se necessário, utilizando esta quantia emprestada para imprevistos e emergências.
  • Deixe as compras desnecessárias (Supérfluos) para pagamento à vista, desde que tenha o dinheiro disponível em sua conta corrente.

Em abril deste ano, houve uma mudança nas regras de pagamento de dívidas do cartão de crédito, detalharei em outra oportunidade.

O importante é todos entenderem o risco que representa o cartão de crédito para o planejamento financeiro pessoal e familiar.

Lembrem-se: Dinheiro é sempre a solução e não o problema, porém, quem define a responsabilidade do dinheiro em nossas vidas somos nós mesmos.

Você quer voar mais alto?

 

Quero e preciso comprar!!!!

  • Quando você vai ao Shopping para comprar uma bolsa, você volta para casa com a bolsa, uma blusa, uma calça e, para completar o look, com mais um brinco?
  • Quando algum amigo ou parente te chama para uma viagem, você vai sem poder ir financeiramente? (“Depois dou um jeito de repor…”)
  • Aquela sua banda favorita vai tocar na cidade e você compra o ingresso sem estar nos planos financeiros?
  • Prefere sempre aquele restaurante caro em vez de priorizar um almoço em casa?
  • Quando sai para uma festa, se sente com mais dinheiro do que realmente tem?

CUIDADO! Se você respondeu, positivamente, 4 dessas 5 perguntas, você está inserido no grupo que é denominado “Gastadores”. Essas pessoas são aquelas que pensam em gastar o dinheiro até mesmo quando não possuem. Geralmente, pensam que é melhor viver o que tem de viver hoje, “e seu eu não estiver aqui amanhã? ”, “Preciso viver enquanto eu posso” ou, simplesmente, possuem impulso para gastar.

Acreditem, podemos encontrar pontos positivos sendo gastadores. Como exemplo, os gastadores são pessoas que não possuem hábitos rotineiros, estão sempre abertos para novas tendências e, geralmente, fazem sucesso com os amigos.

Porém, os pontos negativos desta situação são maiores, mais graves e com SOLUÇÂO.

  • Indisciplina
    1. Consequências:
      1. A indisciplina financeira causa uma grande incerteza quanto ao futuro, já que existe uma falta de controle dos gastos, ocasionando a falta de dinheiro para contas fixas¹ da pessoa;
      2. Falta de conhecimento relacionado às finanças pessoais
      3. Falta de um planejamento efetivo das finanças. (Onde quero chegar?
      4. A compra compulsiva nos oferece aquela felicidade instantânea, porém, essa felicidade termina quando voltamos à realidade.
  1. Ações:
    1. Ter total conhecimento sobre sua situação financeira: o que entra, o que sai, qual o maior gasto, como investir, além de ter um plano de curto, médio e longo prazo;
      1. O conhecimento é o nosso “Verdadeiro Poder”, segundo Vicente Falconi.
  • Conflitos:
    1. Consequências:
      1. Quando não temos controle dos nossos gastos, estamos mais propensos a desgastes de relacionamento conjugal;
      2. Estes desgastes, geralmente, ocorrem porque os gastadores escondem as compras ou dívidas e estas informações aparecem da pior maneira;
      3. Excesso de dívidas causa muito stress às pessoas, afetando, prioritariamente, todos de casa (brigas frequentes com marido/esposa e brigas com os filhos, etc);
  1. Ações:
    1. Aproveitar o conhecimento que sugeri no item de indisciplina e traçar um plano compartilhado, seja com o cônjuge ou com filhos;
      1. A clareza do conhecimento financeiro por todos da casa  oferece um clima mais ameno e com tendência de todos irem para a mesma direção.
    2. Nunca responsabilizar o outro por algum problema financeiro
      1. Quando a vida é a dois ou a dois + os filhos, todos são responsáveis (claro, existem exceções). Se estão juntos, problemas e conquistas também serão de todos. O apoio familiar possui uma força que pouquíssimas pessoas conhecem.
      2. Não esconder o próprio consumismo
        1. Geralmente, o consumismo existe para aquela satisfação instantânea que comentamos acima. Esse consumismo ocorre em forma de compensação para outros campos da vida que não estão indo bem. Compartilhando esta situação, em conjunto, poderão solucionar o que não está bem, juntos. E juntos somos mais fortes.
  • Juros:
    1. Consequências:
      1. Gastos acima do ganho = Cheque Especial.
        1. Os juros do cheque especial, com base de abril, estavam a 328,3%, ou seja, se entrou com R$1.000,00 no cheque especial, no final de 12 meses, você estará devendo R$3.283,00
      2. Gastos acima do ganho = pagamento mínimo do cartão de crédito
        1. Também com base em abril, os juros do Cartão de Crédito no Brasil estavam em 422,5%, ou seja, não pagando o Cartão de Crédito em dia o seu saldo devedor será 4x mais alto daqui a 12 meses.
      3. Gastos acima do ganho = empréstimos em cima de empréstimos
        1. Sem um planejamento, quando gastamos mais do que ganhamos, se fazem necessárias solicitações de empréstimos. Porém, sem uma organização financeira, uma pessoa pode pegar mais 2, 3, 4….. empréstimos que, geralmente, servem para custear os gastos compulsivos. Vai chegar num ponto em que a bola de neve vai aumentar, cada vez mais, e irá explodir.
  1. Ações:
    1. Planejamento financeiro
      1. Não importa a situação que estiver passando, ter conhecimento da sua situação financeira é o principal passo para o seu sucesso financeiro;
    2. Negociação de dívidas
      1. Muitas pessoas sentem vergonha em negociar as dívidas, mas, o melhor a fazer, em conjunto com a organização financeira pessoal, é trabalhar para quitar as suas dívidas. Caso o valor esteja muito alto existem algumas saídas, que precisam ser bastante estudadas. Ex.: Venda de um bem seria uma saída.
      2. De forma consciente e responsável, pesquisar uma forma de empréstimo com juros mais baratos para quitar aqueles com juros mais caros.

O dinheiro possui dois lados, do bem e do mal. Hoje somos, a todo tempo, assediados para consumir. As propagandas, as “facilidades” de compras e apelo sociais fazem com que gastemos sem ver ou, ao menos, pensar. Porém, precisamos mostrar para o nosso dinheiro “quem é o dono de quem”, como já disse a música “Amor Pra Recomeçar”.

Independentemente de como esteja a sua situação financeira, não deixe que essa importante e essencial ferramenta (dinheiro) atrapalhe o seu modo de viver. Torço para que tenham uma vida mais positiva, mais harmoniosa, mais controlada, mais amorosa, com mais lazer, mais saúde e com muito mais conquistas.

Finalizo este artigo com o trecho da música citada acima, “Amor Pra Recomeçar”:

“Eu desejo que você ganhe dinheiro, pois é preciso viver também, e que você diga a ele, pelo menos uma vez, quem é mesmo o dono de quem…

Eu desejo que você tenha a quem amar e quando estiver bem cansado, ainda, exista amor pra recomeçar”…

 

¹ Contas fixas são aquelas contas que chegam todo mês e que, geralmente, não possuem variação no decorrer do tempo. Ex: Financiamento da casa, financiamento do carro, etc..

Pedro Resende

(31)99158-8219

Finanças pessoais? Que bicho de sete cabeças é esse?

Historicamente, nós, brasileiros, nunca tivemos uma educação financeira. Nunca fomos ensinados a controlar os nossos gastos x nossas receitas. Passamos por períodos onde era até melhor guardar o dinheiro debaixo do colchão do que investir (a maioria nem sabia o que era isso), muito em função da desestabilização da economia, com uma inflação acima dos 1000 dígitos, ou seja, um litro de leite, em um dia, poderia custar 1,00 e, no dia seguinte, poderia custar 1.400,00. Com isso, a principal preocupação era garantir o mínimo para alimentação, saúde, etc. E, somente após os anos 2000, é que o governo vem trabalhando, de forma tímida, a importância do controle financeiro.

Hoje, nós temos um pouco mais de informações, porém, não estamos totalmente livres de crises econômicas e políticas. Aliás, estamos tentando sair da maior crise política e econômica deste país, com taxas recordes de desemprego. Essa atual crise atingiu cada um dos mais de 207 milhões de brasileiros e brasileiras.

Essa rápida e simples introdução da economia serviu para eu fazer algumas perguntas:

  • Você possui uma organização financeira familiar?
  • E Planejamento financeiro?
  • Possui algum investimento?
  • Como você está se saindo financeiramente diante desta crise?

Na maioria dos casos, as respostas destas perguntas são negativas muito em função da falta do controle financeiro pessoal. E o que é Finanças Pessoais? Finanças pessoais são as relações que se tem com os recursos financeiros traduzidos em dinheiro, bem como o uso que se faz deste, com objetivos de criar, acumular, investir e proteger as riquezas materiais necessárias a nossa vida.

A falta de um controle das finanças é motivo de grande preocupação, stress, problemas em casa, problemas no trabalho, com amigos e etc., ou seja, problema financeiro é tudo de ruim na vida de qualquer ser humano!!!

Tenha certeza que este problema não tem classe social! Todos, sem exceção, podem ter problemas nas finanças pessoais (pobres e ricos).

Para a solução destes problemas precisamos ter um planejamento financeiro, que, inicialmente, pode parecer difícil e complicado. Este planejamento tem, como objetivo, organizar a sua vida financeira, podendo, assim, administrar melhor o que você ganha. Com este planejamento você poderá tomar decisões hoje que terão reflexo no futuro, alcançando seus sonhos e metas.

O planejamento financeiro faz com que você não precise utilizar cheques especiais e o bom e perigoso cartão de crédito (falaremos melhor sobre cheque especial e cartão de crédito em outro artigo).

O planejamento financeiro te dá a oportunidade de separar uma parcela dos seus ganhos para algum investimento, o que lhe dará ganhos futuros. Vale lembrar que hoje você precisa ter somente R$30,00 por mês para iniciar um investimento e com garantias de ganhos.

O planejamento financeiro faz com que você se prepare para as inevitáveis emergências, como problemas de saúde, acidentes, desemprego. A falta deste planejamento pode ocasionar dívidas em cartões, com os bancos, créditos “fácil”, etc.

O planejamento financeiro te mostra a possibilidade de pagar as contas em atraso ou, até mesmo, adiantar algumas parcelas.

Em caso de dívidas, o planejamento te proporciona um melhor caminho para quitá-las. Existem diversas ações viáveis para que estas dívidas não aumentem (o que ocasiona negativação do nome, com consequências negativas, como a dificuldade de arrumar crédito com instituições financeiras).

Use e abuse deste planejamento.

O planejamento não te traz ganhos somente em suas finanças. Ele vai além disso. Te oferece tranquilidade (mesmo com dívidas), te faz dormir melhor, te faz feliz, proporciona uma harmonização na família, te proporciona conquistas de sonhos (quem não quer uma casa maior, um carro novo, uma viagem dos sonhos?).

Neste primeiro artigo venho mostrar a importância do planejamento em nossas vidas. Nos próximos, iremos tratar com mais detalhes cada ponto deste planejamento.

Fiquem atentos!!!!

Caso tenham dúvidas ou sugestões para os próximos artigos, entrem em contato que irei responder a todos.

Trago algumas sugestões para os próximos artigos:

  • Cartões de Crédito / Cheque Especial
  • Ambiente familiar nas finanças
  • Dívidas
  • Investimentos

Fiquem à vontade em propor algum outro tema. Os leitores que derem sugestões sobre o próximo artigo irão concorrer ao livro CRASH – Uma breve história da economia

Reforço a minha alegria de poder compartilhar o meu conhecimento com vocês. Recebi esse convite com muita honra. A importância que este grupo possui na vidas de todas vocês, mães, é indescritível. São mais de 5.000 mães se auto ajudando, formando laços não só de amizades, mas laços familiares.

Você quer voar mais alto?

Pedro Ivo Patricio de Resende

Pós-Graduado em Gestão de Finanças pela PUC-MINAS e Graduado em Administração de Empresas pela Faculdade Promove. Foi consultor de empresas por 6 anos através da Empresa de Instituto de Desenvolvimento Gerencial (INDG) trabalhando em empresas de grande porte como Drogaria Araújo, Arcelor Mittal, Distribuidora de Medicamentos Santa Cruz, Transportadora Ramos, Supermercados Sales, Decoralita. Nestas empresas, trabalhou diretamente no aumento do Ebtida com as soluções metodológicas para Aumento da Receita, Redução de Despesas, Desempenho Operacional, Processos, Rotina. Atualmente atua na VLI Logística com a responsabilidade de alavancar a melhoria contínua da empresa (Processos de metas, Melhoria de indicadores de resultado, padronização, mapeamento de processo). Vasto conhecimento da metodologia PDCA e cultura TPS (Toyota Production System) possuindo grande foco no cliente e eliminação de desperdício. Também diretor da empresa Pedro Resende Consultoria financeira, gerencial e treinamentos.

(31) 99158-8219