Mommys na estrada – Disney II

Vamos continuar nossa viagem para o lugar mais feliz do mundo… A Disney

Gostaria primeiramente de contar uma notícia que fiquei sabendo depois da primeira postagem… a cia aérea Azul voltará com a rota de Belo Horizonte para Orlando direto. Uma excelente opção principalmente pra viajar com as crianças!

Montando seu roteiro

Depois de resolvida a data, compradas as passagens e os ingressos dos parques, agora começa a fase do planejamento em si. Não tem como seguir um roteiro fechado, pois cada caso é um caso. Depende da quantidade de dias, verba da viagem e estilo da família. Mas existem regrinhas básicas que podem ajudar:

  • Não marque nenhum compromisso para os dias de chegada e saída, nunca se sabe quanto tempo gastará na imigração, pegar ou entregar o carro na locadora e qualquer outro imprevisto que possa surgir. Separe esses dias para reconhecimento e despedida.
  • Se possível, não vá aos parques nos finais de semana, sempre ficam mais cheios. Separe esses dias para as compras.
  • Deixe alguns dias de “folga”, o batidão dos parques é bem pesado e acho necessário um descanso entre eles. Pode ser um mergulho na piscina do hotel, uma tarde de sono ou mesmo outro passeio diferente, Orlando é uma cidade que tem muitas atrações além dos parques. Se sobrar tempo vale um passeio à praia (sugiro Clearwater ou Anna Maria Island), um piquenique no campo dentre vários outros.
  • Pesquise o que tem perto do seu hotel, isso poupa tempo e gasolina em sua viagem. Coloque o endereço no Google Maps e trace rotas até os destinos que vai seguir, procure por supermercados e restaurantes próximos e veja as melhores rotas pra chegar a cada local desviando de pedágios e de congestionamentos.
  • Deem uma olhada nos calendários de lotação. São calendários desenvolvidos para saber o quão cheio o parque ficará naquele exato dia do ano. Obviamente é uma estimativa, mas acho válido se quiser desviar dos feriados, férias ou alguma outra razão que leve a cidade a ficar mais cheia.
  • Não tente “gabaritar” a cidade em sua primeira visita. Não tem como fazer tudo em uma só viagem, nem ficando um mês por lá. Tenha foco e objetivo e priorize o que te deixará mais feliz. Orlando é uma cidade para se visitar várias vezes e ainda sim se surpreender!
  • Assim que comprados os ingressos, faça as reservas dos restaurantes que desejam conhecer, algumas refeições com personagens devem ser agendadas com 180 dias de antecedência. Isso vale também para certas experiências e passeios Vips. Na Disney você pode fazer refeição com as princesas (no castelo da Cinderela, por exemplo), com o Mickey e sua turma, ursinho Pooh dentre outros. Na universal tem almoço com os Minnions, Dora Aventureira e Bob Esponja. Outra experiência que deve ser agendada com antecedência é o Bibbidi Bobbidi Boutique que é a transformação da menina em princesa. As princesinhas vão até um salão de beleza dentro do castelo da Cinderela fazem unha, cabelo e maquiagem e trocam a roupa de acordo com a princesa favorita. Existem vários pacotes de preços, dependem da fantasia escolhida, mas, como tudo dentro da Disney é mais caro, aí vai uma dica: compre a roupa antes (Walmart, Amazon, etc) e leve no dia da experiência. Eles não fazem objeção e seu pacote acaba ficando bem mais barato. Para os meninos, tem a transformação em pirata, bem bacana também!
  • Para agendar qualquer coisa nos parques é necessário baixar os aplicativos. O da Disney chama My Disney Experience (MDE) e nele contém todas as informações da sua viagem. O da Universal chama Universal Orlando Resort App e tem também o da rede Sea World. Todos eles mostram tempo de espera das filas, horário dos shows e opções de agendamento.
  • Não se esqueça de fazer cadastro nos sites dos shoppings e outlets para gerar cupons de desconto, eles fazem grande diferença e é super comum seu uso por lá. Sempre bom!
  • Nunca viaje sem seguro. Faça cotação e busque o melhor para sua família, mas em hipótese alguma deixe de fazer, nunca se sabe o que pode acontecer.
  • Alugue carro aqui do Brasil. Além do valor pago ser em real, você pode escolher com tranquilidade os itens opcionais: GPS, seguros extras, Sun Pass (aquele adesivo que já inclui o valor dos pedágios e você pega fila especial), cadeirinha infantil, etc. Quando chegar ao guichê da locadora com todos os serviços contratados não precisará passar pela abordagem (muitas vezes bem insistente) dos vendedores te empurrando mil adicionais.
MDE

Cada parque tem sua particularidade, a começar pela compra dos ingressos. Em Orlando os ingressos são vendidos por dia e não por parque, explico, você compra ingresso de 5 dias e escolhe qual parque quer visitar. Pode ir os 5 dias no mesmo parque ou mudar todos os dias. Escolha seu tipo ideal dependendo de seu planejamento:

O ingresso da Disney é válido por 14 dias a partir do primeiro uso e pode ter três opções: Magic your way que consiste em escolher apenas um parque por dia, não podendo mudar de um para outro, entretanto você pode sair e voltar no mesmo parque no mesmo dia. Park Hopper (custo adicional) no qual pode ir a mais de um parque no mesmo dia. Park Hopper Plus (custo adicional) que inclui os parques aquáticos. Existem dois modelos de ingresso, o cartão magnético, no qual você compra aqui no Brasil o voucher e troca lá nos parques pelo cartão e a Magic Band, que é uma pulseira que você pode comprar e linkar seu voucher ou ganhar caso fique hospedado em algum hotel Disney. Em ambos os casos, o ingresso é pessoal e intransferível, eles fazem o cadastro de sua digital e só você pode usá-lo.  A Disney tem um benefício de “fura fila” gratuito chamado Fast Pass no qual você agenda três atrações por dia, por parque que deseja conhecer (geralmente as mais concorridas) e marca um horário pra brincar pegando uma fila menor. Para agendar o FP é necessário ter o cadastro no MDE. A Disney possui shows noturnos lindíssimos em todos os parques. Vale à pena esperar por eles mesmo que o cansaço possa estar batendo. Checar horário no MDE ou pegar o Time Guide na entrada do parque.

Ingresso Disney

Os ingressos da Universal são válidos por 7 dias a partir do primeiro uso. Tem opção single park admission onde você só pode visitar um parque por dia ou park-to-park admission que pode visitar ambos no mesmo dia. No caso da Universal, você pode levar o voucher e trocar pelo ingresso na porta ou imprimir o código de barra em casa mesmo e ir direto pra fila.

Nos parques do grupo Sea World, os ingressos são válidos por 14 dias a partir do primeiro uso, pode levar o voucher e trocar pelo ingresso na porta ou imprimir o código de barra em casa mesmo e ir direto pra fila. A única exceção é o Aquática, que possui ingresso diferenciado e quando é adquirido dá direito a outros parques gratuitos. Checar mais informações no site.

Nos parques da Lego é necessário agendar o dia de sua visita, pode levar o voucher e trocar pelo ingresso na porta ou imprimir o código de barra em casa mesmo e ir direto pra fila. Existe ingresso de apenas um parque e outro para os dois.

Além dos parques sugiro conhecer o complexo I-Drive 360 onde fica a roda gigante da Coca-Cola Orlando Eye. Ela é linda e tem uma vista deslumbrante da cidade. Nesse complexo tem também o museu de cera Madame Tussauds e o SeaLife Aquarium além de restaurantes e lojas. Se ainda sobrar um tempinho e algum fôlego, sugiro também, assistir a um jogo de basquete ou futebol nas maravilhosas arenas da cidade. Veja se o calendário dos jogos coincide com sua viagem.

Coca-Cola Orlando Eye

Bom, por hoje é só! No nosso último post falaremos sobre alimentação e a parte prática de viajar para Orlando. Beijos!

Mommys na Estrada – Disney

Outubro é o mês das crianças e para comemorar essa data tão especial, escolhi falar do lugar mais mágico e divertido do planeta: Disney!!! Na verdade falaremos sobre Orlando em geral, numa série de 3 postagens pra lá de recheadas de dicas e relatos dessa Disneymaníaca assumida que vos fala!

Lugar Mágico

A cidade de Orlando fica no Estado da Florida, no condado de Orange. Famosa por suas atrações turísticas, Orlando é uma das cidades mais visitadas dos Estados Unidos e eles estão super preparados para essa demanda. Sua estrutura para o turismo é tão grande que a cidade possui mais de 100 mil quartos de hotéis e aproximadamente 26 mil residências de aluguel para férias. O turismo emprega cerca de 230 mil pessoas na região, com destaque para o grupo Disney World que possui 56 mil funcionários.

Existem inúmeras atrações na cidade, mas sem dúvida as mais famosas são os parques de diversão.

Realizar esse sonho de viagem não é fácil. Várias questões importantes estão envolvidas, principalmente as relacionadas ao financeiro e ao planejamento e acredito que com essa série de posts conseguiremos sanar a maioria das dúvidas e partir para a parte divertida do planejamento!

Sempre me perguntam:

  • Qual a melhor idade para a criança viajar para Disney?

Depende muito da criança, da família e do ritmo que desejam para essa viagem. Só os pais sabem se a criança irá suportar bem as longas horas de viagem, o batidão de percorrer até 18km por dia num parque, a mudança da alimentação e a rotina quase inexistente. Somente nós podemos saber se essa será a primeira de muitas idas do baby a Disney, ou se essa é a viagem sonho da família e que provavelmente não se repetirá tão cedo. Eu acredito que é uma viagem para qualquer idade, do bebê ao idoso, desde que seja bem planejada e que siga o ritmo da família. Cada viagem é diferente de acordo com o estilo das pessoas que estão indo.

  • Qual época do ano é ideal para visitar Orlando?

Mas uma vez terei que repetir, depende! Primeiro vale lembrar que a alta temporada por lá vai de junho a agosto (férias de verão) e da segunda quinzena de dezembro ao inicio de janeiro (recesso de fim de ano), além de feriados específicos como o Spring Break (março) e Thanksgiving (final de novembro). Tente se possível, fugir dessas datas, pois a lotação aumenta absurdamente. Ainda há a questão do clima. Orlando é uma cidade com o clima bem definido ao longo do ano: inverno, de outubro a março, com temperaturas baixas pouca chuva e verão, de abril a setembro, com temperaturas muito altas e bastante chuva. Vai do gosto e conforto de cada família escolher se deseja usar roupas leves, frequentar parques aquáticos, usar muito protetor solar e capa de chuva ou se a melhor opção é vestir roupas quentinhas, às vezes até luvas e gorros, andar quilômetros sem suar e pular as atrações e parques que molham!

  • Por onde começar?

Planejar uma viagem pra Orlando requer tempo e preparação. São muitos detalhes e dicas que podem fazer diferença em sua experiência na cidade mais divertida do mundo.

Escolhendo a data

O ideal é começar a planejar sua viagem com um ano de antecedência. Pode parecer exagero, mas algumas experiências podem ser agendadas 180 dias antes e as mais disputadas acabam logo. Para reservar a maioria das experiências é necessário já ter adquirido o ingresso do parque. Por se tratar de uma viagem cara, quanto antes começarem os planejamentos mais tempo terá para dividir o valor da viagem e juntar dinheiro antes da partida.

Escolhendo o vôo

Quando começo a pensar em uma viagem a primeira coisa que procuro são as passagens aéreas. Faço cadastro nos sites de busca e fico de olho nas promoções. Os sites que mais uso são WWW.skyscanner.com.br, WWW.decolar.com, WWW.kayak.com.brWWW.passagensimperdiveis.com.br e WWW.voopter.com.br.   Com crianças, prefira sempre vôos noturnos e de preferência com menor número de escalas possível. Infelizmente, Orlando não tem mais vôo direto partindo de BH, mas ainda existem ótimas opções saindo de outras cidades aqui perto. Dêem uma lida no meu primeiro post aqui no blog onde falo sobre aeroporto, bagagens e todas as dicas para viajar de avião com crianças.

Escolhendo o Hotel

Existem basicamente três tipos de hospedagem para escolher em Orlando. Os hotéis Disney, os demais hotéis e o aluguel de casas. Cada um tem suas vantagens e desvantagens que vou listar:

Hotéis Disney – Vantagens – a magia de sua viagem já começa na hospedagem (pensa em comer no café da manhã waffles do Mickey), transporte gratuito do aeroporto ao hotel e o contrário, transporte gratuito para os parques Disney (economia de U$20 por dia com estacionamento), Magic Band* gratuita, prioridade na marcação de Fast Pass**, dentre outros. Desvantagens – o preço é um pouco mais alto que os outros hotéis de mesma categoria, o complexo Disney fica em Lake Buena Vista (município vizinho a Orlando) e por isso, fica um pouco mais distante dos grandes shoppings e dos outros parques de Orlando.

Hotéis fora do complexo Disney – Vantagens – pode-se escolher o hotel por preço e localização que forem mais adequados a sua viagem. Desvantagens – é preciso cuidado e pesquisa pra saber sobre a segurança, (em Orlando acontece muito furto em hotéis), limpeza (pânico dos bedbugs) e serviços cobrados a parte (alguns hotéis cobram estacionamento).

Aluguel de casas – Vantagens – ideal para grupos maiores (preço e conforto), o fato de poder ficar a vontade pra cozinhar (para quem tem criança pequena é ótimo), reunir toda a família ao fim do dia (ao invés de cada um no seu quarto). Desvantagens – a maioria das casas de aluguel ficam em condomínios fechados em municípios vizinhos, segurança (não se compara a segurança de um bom hotel), limpeza e conservação (não são todas as casas que possuem limpeza incluída).

Hotel Disney’s All Star Movies

 Escolhendo as experiências

Agora começa a melhor parte do planejamento! Escolher quais parques visitar, o que mais quer fazer e quais as atrações a família deseja conhecer! Para isso é necessário um pouco de dedicação e pesquisa. Não tem como conhecer nada no mundo sem saber o mínimo o que esse lugar oferece. Vamos começar pelos principais parques.

  • A Disney World Resort em Orlando possui 4 parques temáticos e 2 parques aquáticos:

Disney’s Animal Kingdom – parque zoológico com temática voltada para o reino animal.

Magic Kingdom – é o parque mais conhecido, que abriga o famoso Castelo da Cinderela e toda magia Disney.

Disney’s Hollywood Studios – parque com temática de cinema.

Epcot – parque com temática futurista e que também abriga o World Showcase, um passeio por 11 pavilhões de países com toda sua cultura e gastronomia.

Thyphoon Lagoon – parque aquático com temática tropical.

Blizzard Beach – parque aquático com temática polar.

  • A Universal possui 2 parques temáticos e 1 parque aquático:

Universal Studios – parque temático com atrações dos principais filmes do estúdio.

Island of Adventure – similar ao irmão da mesma rede.

Volcano Bay – parque aquático que tem como tema as ilhas do pacífico e um grande vulcão como marco central.

  • A rede Sea World possui 2 parques temáticos e 2 parques aquáticos:

Sea World – parque zoológico de animais marinhos. Além de shows e interação com animais, o parque possui diversas atrações, dentre elas montanhas russas bem radicais.

Bush Gardens – parque zoológico na cidade de Tampa. Lar de atrações bem radicais.

Aquática – parque aquático onde o tema é o oceano pacífico, mais especificamente as praias da Austrália e Nova Zelândia.

Discovery Cove – parque super diferente que proporciona experiências inusitadas como, interação com animais marinhos, mergulho com snorkel e com escafandro. E tudo isso, numa ambientação que leva os convidados a acreditar que estão numa praia do Caribe.

  • A Lego possui 1 parque temático e 1 parque aquático de mesmo nome:

Legoland – parque com temática do famoso brinquedo Lego. Ideal para crianças até 10 anos. Possui também, parque aquático de mesmo nome e tema.

Os ingressos podem ser adquiridos de diversas formas, através dos portais dos próprios parques (pagamento no cartão em dólar + IOF), agentes de turismo (pagamento em real e geralmente divide) e em sites como Decolar, Submarino, TAM viagens, CVC dentre outros (pagamento em real e divide em várias vezes). Fique atento às promoções e descontos! Cada parque possui peculiaridades em seus ingressos. Explicarei mais quando falarmos de cada parque separado.

Disney Animal Kingdom

Agora vamos às compras.

Os principais Outlets de Orlando são o Premium da Vineland e o Premium da International Drive, ambos com boas marcas e preços (dependendo da cotação do dólar).

Os melhores shoppings são The Florida Mall, Disney Springs, The Mall at Millenia e Pointe Orlando com excelentes marcas e preço de shopping.

Além disso, existem as enormes lojas de departamento como Best Buy, Ross, Macy’s, Saks Fifth Avenue, Marshalls, TJ Max dentre outras, os supermercados, Walmart e Target e as farmácias Walgreens e CVS que são um sonho para quem curte compras.

Ufa… muita informação né? Ficamos aqui por hoje…

No próximo post falaremos sobre como fazer o roteiro e as reservas, aluguel de carro e muito mais.

*Magic Band é uma pulseira eletrônica onde você linka tudo sobre seus dias na Disney, desde seus ingressos, cartão de crédito para compras, Fast Pass agendados e fotos tiradas pelos profissionais. Serve também como chave para abrir seu quarto de hotel.

**Fast Pass é o “fura fila” da Disney. Um sistema onde você pode marcar as atrações que mais quer conhecer no parque e, na hora agendada, entrar numa fila especial bem menor e mais rápida.

 

Mommys na estrada – Cidades Históricas Mineiras

Que tal levar as crianças para conhecerem melhor nosso lindo estado?

E se esse passeio for cercado de história e conhecimento, melhor ainda não é?

Pois hoje vamos falar sobre as lindas cidades históricas mineiras. Com todo seu charme e cultura podem ser um destino muito divertido com a criançada!

O primeiro passo é decidir para onde ir primeiro…

Tiradentes e Bichinho

Onde ficar: Sugestão 1 – Pousada Santíssimo – estrutura sensacional e atividades especiais para crianças.

Sugestão 2 – Pousada Trem do Imperador – além das suítes convencionais, essa pousada oferece quartos dentro de vagões de trem! Super legal para as crianças.

Onde comer: Estalagem do Sabor – restaurante típico mineiro com aquele sabor especial de casa de vovó. Não tem play, mas vale a pena pela comida deliciosa!

O que fazer: Tiradentes

  • Igrejas – Igreja Matriz de Santo Antônio, Igreja Nossa Senhora do Rosário, dentre outras.
  • Passeio de charrete – além das crianças amarem esse tipo de passeio, ainda possui guias que acrescentam muito contando “causos” e histórias da cidade. Parte da praça central, o Largo das Forras. Custa em média R$25,00.
  • Museu da Liturgia – independente da religião vale muito a pena conhecer. Possui programação especial para crianças e visitas guiadas. Funciona de quinta a segunda das 10h às 17h. Custa R$10,00 inteira.
  • Gruta Casa de Pedra – para as crianças maiores e corajosas esse é um passeio e tanto. Inclui capacete com luz pra tornar a aventura ainda mais legal. Funciona sábados, domingos e feriados. Custa R$20,00 inteira.

O que fazer: Bichinho

  • Casa Torta – uma casa para brincar. Passe um delicioso dia conhecendo o artesanato da cidade e aproveite pra levar as crianças para serem felizes! Funciona sábados, domingos e feriados das 13:10h as 18:30 ao custo de R$10,00. Quartas, quintas e sextas das 10h as 18:30h. Custo de R$5,00 a entrada.
  • Museu do Automóvel – para os amantes de carros antigos essa coleção é maravilhosa e única! Funciona de quarta a domingo das 9h as 18h. Custa R$16,00 inteira.
Puro charme!
*Foto da internet

 São João Del Rei

Onde ficar: Garden Hill – muito conforto num ambiente maravilhoso.

Onde comer: Dedo de moça – cardápio bem variado e excelente localização.

O que fazer:

  • Igrejas – Igreja de São Francisco de Assis, Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, Igreja de Nossa Senhora do Carmo, dentre outras.
  • Maria Fumaça – saindo de São João Del Rei para Tiradentes, ou o contrário, é um passeio imperdível com as crianças! Horário da bilheteria: 4ª a 6ª de 9h às 11h e 13h às 16h. Sábado de 9h às 13h e 14h às 16h. Domingo de 9h às 13h. Custa R$50,00 ida e R$60,00 ida e volta inteira. Crianças até 5 anos não pagam.
  • Museu Ferroviário – museu super bacana que abriga vários objetos antigos sobre o tema, além de uma locomotiva que foi a primeira da ferrovia. Funciona de quarta a sábado de 9h as 11h e de 13h as 17hs e no domingo de 9h as 13h.
Diversão garantida!
*Foto da internet

Ouro Preto

Onde ficar: Pousada Solar do Rosário – linda pousada construída em casarão do século XIX com quartos lindamente decorados! A localização privilegiada no centro torna a logística com criança mais fácil.

Onde comer: O Passo Pizza Jazz – comida deliciosa e espaço bacana com linda vista.

O que fazer

  • Igrejas – Igreja São Francisco de Assis, Basílica de Nossa Senhora do Pilar, Igreja Nossa Senhora do Carmo, Igreja N S do Rosário dos Pretos, dentre outras.
  • Museus:

Museu da Inconfidência: Funciona de terça a domingo de 10h as 18h. Custa R$10,00 inteira.

Casa dos Contos: Funciona de terça a sábado de 10h as 17h e domingo de 10h as 15h.

Museu da Mineralogia: Funciona de terça a domingo de 12h as 17h.

  • Mina Du Veloso – visite essa mina que é um espetacular exemplar da genialidade africana nos trabalhos em busca do ouro na antiga Vila Rica, hoje Ouro Preto. Funciona diariamente de 9h as 18h. Precisa agendar visita guiada.
  • Feira do Largo de Coimbra – feirinha tradicional com muitas opções de lembrancinhas. Deixe as crianças escolherem um souvenir de pedra sabão pra levar pra casa e contar a todos sobre essa tradição mineira.
Museu vivo!
*Foto da internet

 Mariana

Onde ficar: Pousada Gamarano – atendimento acolhedor e vista espetacular.

Onde comer: Rancho da Praça – comida mineira de qualidade.

O que fazer:

  • Igrejas – Basílica de São Pedro dos Clérigos, Catedral Basílica da Sé, Igreja Nossa Senhora do Carmo, dentre outras.
  • Museu Arquidiocesano de Arte Sacra: Funciona de terça a sexta de 8:30h as 12h e de 13:30h as 17h. Aos sábados e domingos de 9h as 15h. custa R$10,00 inteira.
  • Mina da Passagem – a maior mina de ouro aberta à visitação do mundo guarda segredos e mistérios que encantam a todos, principalmente os pequenos. Funciona as segundas e terças de 9h as 17h e de quarta a domingo de 9h as 17:30h. Custa R$60,00.
  • Trem da Vale – conheça histórias e belas paisagens das cidades de Ouro Preto e Mariana através de um empolgante passeio a bordo de uma super locomotiva. Funciona as sextas, sábados, domingos e feriados. Os preços variam assim: Vagão Convencional – R$46,00 ida e R$66,00 ida e volta inteira Vagão Panorâmico – R$70,00 ida e R$ 90,00 ida e volta inteira
Vale a pena conhecer!
*Foto da internet

Dicas para todas as cidades:

Igrejas históricas – conhecer as igrejas das cidades pode não ser tão atrativo para as crianças, mas as paisagens são tão lindas e a cada passo surgem gramados e pracinhas deliciosas para os pequenos brincarem.

Nos museus, as crianças geralmente ficam curiosas com o enorme acervo e daí entra a criatividade dos pais em contar a história de forma mais lúdica e divertida. Vá ao tempo deles.

Sempre tem uma praça ou parque pra poder deixar a criançada à vontade, portanto, “perca tempo” os deixando ser feliz por um momento antes de voltar ao roteiro planejado.

Passeie pelas cidades! Cada ruazinha esconde lindos casarões, lojinhas, restaurantes e cafés que valem a pena conhecer!

 

 

Mommys na estrada – Praia

Vem chegando o verão…

Bora para a praia? É possível aproveitar muito com crianças de qualquer idade! E eles amam (geralmente)!

Paraíso!

Escolhendo o lugar

Quando viajamos com criança pra praia infelizmente não podemos pegar os óculos escuros e a canga e sair por aí na aventura, precisa de um pouco mais de cuidado e atenção. E já na escolha do lugar isso fica evidente. O lugar precisa ter o mínimo de estrutura para facilitar a vida dos pais. Não precisa ficar restrito somente a resort não, mas uma barraca com sombra e água fresca nunca são demais. Se possível escolha destinos com quiosque de praia, banheiro, chuveiro de água doce e mesas com guarda-sol. Opte também por praias com o mar mais calmo, pouca onda, para maior tranquilidade com as crianças.

Segurança

Na praia, principalmente no verão, temos que ter cuidado redobrado com os pequenos. Primeiro o sol, muito mais forte nessa época, que requer o dobro de atenção na proteção solar. Passe o bloqueador solar apropriado à idade antes de sair de casa e repita a aplicação de duas em duas horas mesmo que a criança fique na sombra, os raios solares refletem na areia e podem causar queimaduras sérias. Use também roupas com fator de proteção solar, chapéus e óculos escuros. Use e abuse de guarda-sóis e cabanas!

Outro ponto preocupante nessa época do ano é a desidratação. Dê sempre muito líquido à criançada! Prefira sempre água mineral, pois não há como atestar a qualidade da água fornecida nesses locais, e para as crianças maiores vale também muito suco, água de coco e picolés de fruta.

Não se esqueçam também do repelente! Ele deve ser aplicado depois do protetor solar já seco.

Para segurança no mar, acho que o principal cuidado é ter sempre um adulto junto à criança, sempre mesmo!

O corpo de bombeiros aconselha os pais a não colocar bóia de nenhum tipo nas crianças. Elas criam falsa sensação de segurança e podem fazer com que sejam levadas pelas ondas, inclusive, 25% dos afogamentos no mar são causados por bóias (fonte: Corpo de Bombeiros).

Use sempre identificação nas crianças, pode ser pulseira, etiqueta na roupinha ou mesmo tatuagem temporária, o importante é conter o nome da criança e o telefone do responsável. Para as crianças maiores, ensine a buscar um ponto de referência para se localizar, pode ser uma placa, um quiosque ou mesmo coloque uma canga bem colorida em sua barraca pra facilitar.

Chapéu para proteger do sol!

Na bolsa de praia

Façamos uma listinha:

Roupinhas leves e confortáveis;

Sandálias e chinelos leves;

Sunga, maiô ou biquíni;

Fralda de piscina e lenço umedecido;

Chapéu e boné;

Óculos escuros;

Toalha de praia;

Canga ou lençol fininho pra proteger do vento;

Roupão;

Brinquedinhos de praia;

Prancha para as crianças mais radicais;

Piscina inflável;

Protetor solar;

Repelente;

Farmacinha básica;

Leite em pó;

Papinha industrializada ou caseira acomodada em pote térmico;

Bolsa térmica;

Água mineral, frutas e biscoitos se não houver pra comprar no local.

Logística

Chegue cedo pra pegar um bom lugar e aproveitar o sol saudável da manhã. Ao chegar, monte a estrutura de sombra para a criançada usando guarda-sóis ou barracas.

Monte a piscina inflável e já encha de água (se possível, água doce) pra ir esquentando um pouco. Espalhe os brinquedinhos e coloque uma canga ou toalha no chão pra criança sentar. Não é recomendável deixar as crianças sentadas direto na areia, pois existem várias doenças dermatológicas que podem ser transmitidas dessa forma.

Se bater o cansaço, prepare uma “caminha” de areia e forre com toalha seca. Acomode a criança e cubra-a com uma canga leve para proteger do vento. O mesmo arranjo pode ser feito dentro da piscininha inflável seca.

Alimentação

Para os bebês que ainda mamam no peito, aumentem a frequência das mamadas para evitar desidratação. Dê água mineral se sentir necessidade.

Para as crianças maiores, além da hidratação, dê preferência por frutas, pães e biscoitos. Refeições mais leves são ideais no calor. Evite comprar de ambulantes e barracas de praia, nunca sabemos as condições que o alimento foi preparado. Se precisar comprar algo, opte por industrializados de marcas conhecidas ou alimentos que não estragam com facilidade.

E o mais importante, respeite a criança! Eles têm suas vontades e gostos. Se ficarem desconfortáveis ou chorões, vamos todos embora ficar na piscina!

Não gostei

Algumas praias brasileiras testadas e aprovadas por pais e mães de filhos pequenos*

Região Sudeste

Baleia, São Sebastião (SP)

Barra do Saí, São Sebastião (SP)

Barra do Una, São Sebastião (SP)

Enseada, Guarujá (SP)

Juqueí, São Sebastião (SP)

Veloso, Ilhabela (SP)

Leblon, Rio de Janeiro (RJ) – Baixo Bebê

Meaípe, Guarapari (ES)

Região Nordeste

Costa do Sauípe, distrito de Mata de São João (BA)

Praia do Forte, distrito de Mata de São João (BA)

Stella Maris, Salvador (BA)

Villas do Atlântico, Lauro de Freitas (BA)

Porto das Dunas, Aquiraz (CE)

Porto de Galinhas, distrito de Ipojuca (PE)

Região Sul

Praia de Bombinhas, Bombinhas (SC)

Jurerê Internacional, Florianópolis (SC)

Lagoinha do Norte, Florianópolis (SC)

* segundo o site Baby Center Brasil

 

 

 

 

Mommys na estrada – Chile

Esse ano resolvemos levar as crianças para conhecer a neve. Já era um pedido antigo das crianças, Cadu queria esquiar e Luisa queria ser a Elsa do Frozen. Após muita pesquisa, resolvemos que o destino seria o Chile, primeiro por ser relativamente perto do Brasil, ser uma cidade grande e estruturada e por ter muita opção de passeios para crianças pequenas.

Muita Neve!

Escolhemos um vôo da Latam que tinha escala somente em São Paulo e, por serem poucas horas, foi bem tranquilo. A vista da Cordilheira lá de cima é estonteante! Chegamos em Santiago a noite e pegamos um transfer no aeroporto direto para o hotel (Diego de Almagro no bairro de Providência). O hotel que escolhemos tem uma boa estrutura, fica localizado em um ótimo bairro e que fica bem pertinho do shopping Costanera Center. O shopping possui sete andares com muitas opções de lojas, restaurantes e supermercado. Os preços de lá não são muito convidativos não, achei tudo bem caro, mas tem muita opção de roupas de frio que não temos por aqui e vale a pena pra quem pretende viajar mais vezes para lugares frios. Nesse shopping fica também o Sky Costanera, o maior mirante da América Latina. Um passeio lindo para ver a cidade e o pôr do sol a 300 metros de altura.

No primeiro dia fomos conhecer o Cerro San Cristóbal que faz parte do Parque Metropolitano de Santiago e suas diversas atrações. Ao chegar, pegamos o funicular (uma espécie de trenzinho) até o zoológico. Gostamos bastante do zoo, pois tem algumas espécies que não vemos aqui no Brasil (como os pingüins e o panda vermelho), e os animais parecem bem tratados e apesar do frio estavam bem visíveis no horário que fomos pela manhã. Depois, subimos mais um pouco de funicular até o cume e ficamos sem fôlego com a vista maravilhosa da cidade emoldurada pela cordilheira dos Andes toda branquinha de neve. Maravilhoso! Lá em cima fica também o santuário de Imaculada Conceição com a linda imagem de 22 metros de altura. É lá de cima também, o ponto de partida do teleférico. Ele é fechado e super bacana, com mais paisagens lindas da cidade e do parque. Vale a visita. Na volta vale aproveitar que está no bairro Bellavista e dar um pulinho em uma das casas de Pablo Neruda, La Chascona, que fica ali pertinho. Nesse dia almoçamos no Costanera Center no delicioso restaurante Costamia de especialidade chilena e frutos do mar que é ambientado por enormes aquários. As crianças amaram!

No segundo dia fomos conhecer Farellones, uma estação de esqui com várias brincadeiras (para crianças e adultos) que fica na curva 40 da montanha. A entrada é feita com a compra de um ingresso único que dá direito a todas as atrações (exceto aula de esqui). Primeiro pegamos o teleférico e descemos para a parte mais infantil da estação. Brincamos na pista de trenó e no tubbing (esquibunda com bóia), fizemos boneco de neve e Luisa brincou no carrossel de neve. Possui estrutura de banheiro e alguns foodtrucks com lanches. Lá em cima tem restaurante melhores e as atrações para os maiores. O tubbing grande e a tirolesa são imperdíveis. Tem também bicicleta de neve e o trineo (uma espécie de trenó), mas não fomos. Achei que vale a pena passar ao menos meio dia nessa estação pra brincar bastante. A noite jantamos no Pátio Bellavista, um mall com vários restaurantes e lojinhas super bacana!

Nosso Ollaf

No terceiro dia o passeio mais esperado, a visita ao Vale Nevado, estação de esqui mais famosa do Chile. Contratamos o passeio no nosso hotel e subimos de van as 58 curvas que levam até o topo da montanha. Para as pessoas mais sensíveis, recomendo tomar um remedinho para enjôo, já que as curvas sinuosas podem causar desconforto. Não precisei medicar minhas crianças, pois elas dormiram por todo o trajeto. Tínhamos acordado bem cedo pra fazer o passeio. Alugamos as roupas de neve no caminho, em uma loja conveniada com a empresa que contratamos para nos levar. A roupa é a impermeável: casaco, calça e botas específicos para neve. Essa roupa é importante para conter o vento e a umidade do local. Por baixo, vestimos calças e blusas térmicas, meias de lã e mais uma blusa de fleece, que servem para aquecer (comprei tudo na Decatlon aqui em BH mesmo). Gostei demais da estrutura do Valle Nevado. Lá encontram-se ótimos restaurantes, lojinhas, lanchonetes e banheiros. Existe um teleférico com cabine fechada que leva ao segundo nível do Valle, mas estava fechado nos dias que fomos e portanto, subimos de caminhão. Na base da estação tem opção de aluguel de roupa (mais caro e com pouca opção de tamanho) e equipamentos de esqui. Meu marido contratou um pacote que era de 2 horas de aula de esqui incluindo o equipamento. Ele adorou e achou que valeu muito a pena. Os adultos fazem o curso e depois podem escolher uma das várias pistas pra continuar a praticar durante o dia. Ao chegar lá em cima, fiz a inscrição do Cadu na Escola de Neve, um curso de esqui para crianças. Com duração de duas horas o curso conta com aula, lanchinho e brincadeiras num ambiente super fofo todo preparado para os pequenos. Cadu amou e já estava craque no esqui ao fim do dia. Como optei por não esquiar (já tentei uma vez e foi um fiasco), preferi ficar quentinha no restaurante La Leñera comendo um fondue e tomando um dos excelentes vinhos da região de Maipo.

Escola de Neve

No quarto dia fomos conhecer as cidades costeiras de Viña Del Mar e Valparaiso. Contratamos a mesma empresa de turismo para nos levar nessa viagem de pouco mais de uma hora. Começamos por Valparaiso. A cidade possui área histórica considerada Patrimônio Cultural da Humanidade. São construções coloridas em morros que se assemelham muito as nossas favelas. Eles têm também, um dos portos marítimos mais importantes do país. A cidade abriga ainda uma outra casa de Pablo Neruda, intitulada de La Sebastiana, que não pudemos conhecer porque estava fechada. De Valparaiso seguimos para Viña Del Mar, cidadezinha linda e charmosa a beira mar. Conhecemos o relógio das flores, passeamos na orla e almoçamos no delicioso Castillo Del Mar, restaurante dentro de um castelinho de pedras e vista para o mar. Por fim, visitamos o cassino da cidade, que foi construído nos anos 1930 e tem todo um charme e bossa. Crianças não podem entrar na área de jogos, porém, podem ficar no segundo andar e nos revezamos para ficar com eles. Perdemos um pouco de pesos chilenos e viemos embora cansados e felizes.

Viña Del Mar

No quinto dia saímos cedo em direção ao Centro Histórico de Santiago, onde encontra-se o Palácio La Moneda (sede do governo) e Centro Cultural La Moneda. De lá caminhamos até a Plaza das Armas, visitamos a maravilhosa Catedral Metropolitana de Santiago, e o Museu de Arte Precolombino. Nesse museu existe uma área para as crianças que é uma graça, super interativa e divertida. De lá fomos ao Mercado Central. Um bom lugar para comer pratos preparados com a centolla – uma espécie de caranguejo gigante típico do Chile. Escolhemos o famoso restaurante Donde Augusto e posso afirmar que a experiência já vale o preço. Os garçons são super atenciosos e engraçados, nos divertiram durante uma bela tarde regada a muita comida e deliciosos vinhos.

Centolla

No sexto dia Cajon Del Maipo num passeio de dia inteiro que incluiu visita ao vilarejo de San José de Maipo e ida até o Embalse Del Yeso, um reservatório de água que abastece a cidade de Santiago. A vista é deslumbrante, mas achei meio perigoso e sem estrutura, principalmente para crianças. Não sei se encararia de novo uma viagem de 2:30 horas de carro com crianças só pela paisagem!

Cajon Del Maipo

No sétimo dia levamos as crianças para conhecer o Museu Interativo Mirador (o MIM), um museu onde o tudo pode ser tocado e experimentado. Focado em ciência e tecnologia, tem muita coisa divertida para todas as idades e o mais bacana é que pais e filhos podem brincar e aprender juntos. Por ser enorme (mais de 7 mil metros quadrados), sé bom separar uma boa parte do dia para visitá-lo. Lá ainda é possível fazer um lanchinho em sua lanchonete ou cafeteria. Nesse mesmo dia à tarde, fizemos o passeio à vinícola Concha y Toro. Marcamos o tour em português e adoramos conhecer os processos de fabricação. No fim, a degustação é claro! Tem também uma loja para compra de souvenirs e vinhos da casa.

Resumão da viagem: Amei a cidade de Santiago! É limpa, organizada e super bonita. Acho que merece ser visitada nos meses quentes também, pois possui muitos parques e praças que não animamos conhecer por causa do frio.

O Valle Nevado faz jus à fama! A estrutura é muito boa e possui entretenimento para toda a família. Separe um dia inteiro pra aproveitar muito. Farellones também achei que compensa ir pra brincar.

A comida do Chile é boa demais! Muitos frutos do mar e muita opção para a criançada. Os vinhos eu nem comento! São sensacionais e com um precinho super digno! Queria trazer caixas e mais caixas. Os que mais gostei foram os vinhos da região de Maipo.

Achei que sofreria mais por causa do frio, principalmente com as crianças, mas foi tranquilo. O importante é estar bem preparada com roupas térmicas e casacos apropriados.

Achei uma viagem relativamente barata, pois o peso chileno é desvalorizado frente ao real. Estadia, alimentação e transporte possuem preços bons. Apenas os pontos turísticos têm o preço mais salgado, mas isso é normal em todo lugar do mundo né?

Enfim, adoramos a viagem e achei mesmo que vale a pena fazê-la com crianças! Espero voltar mais vezes…

Mommys na estrada

Viajar é uma delícia não é? Quem não gosta! Escolher o destino, criar aquela expectativa gostosa, além da organização do roteiro que já é uma diversão!

Mas e viajar com crianças? Desanima? Escolhem sempre os mesmos destinos pra facilitar?

Toda a logística e preocupação podem causar medo, mas vou tentar ajudar e mostrar que pode ser uma experiência excepcional e, na verdade só requer um pouco mais de organização.

Vamos às dicas?

Avião, aeroporto e companhias aéreas

A escolha do voo é uma das partes mais importantes para uma viagem tranquila com as crianças. Geralmente, voos noturnos tendem a ser mais atrativos, pois, a tendência é que as crianças durmam e não percebam o passar do tempo. Se o trecho for curto, daí não se aplica, pois vai cortar o sono da criança e o efeito pode ser o contrário.

Para voos mais longos, a maioria das companhias aéreas disponibiliza serviço especial para crianças, como alimentação e entretenimento. Se possível, opte também por espaço extra nessas viagens longas. No caso de bebês de colo, há ainda a possibilidade de solicitar assento especial (na primeira fileira) com berço móvel. Em todos os casos, solicitar tais serviços previamente através do telefone ou site da companhia.

Na hora do pouso e decolagem dê a criança algo para mastigar ou sugar para evitar pressão nos ouvidos.

Arrumando as malas

Essa etapa requer atenção especial. Primeiramente, vamos pensar que as crianças que tem assento no avião se enquadram nas mesmas regras de bagagem dos adultos. No caso de crianças de colo, a regra geralmente é uma mala despachada, mais um carrinho e cadeirinha de carro. Lembrando que cada cia aérea tem suas particularidades, portanto, consultar antes.

A escolha das roupas é muito particular e deve ser levado em conta o destino, clima, idade das crianças e estilo de cada família. Eu sempre prefiro levar os looks de cada dia já prontos, para evitar excessos e conseguir otimizar espaço na mala. Levar sempre um ou dois kits extras por segurança.

Outro item indispensável na mala é a farmacinha. Levar sempre termômetro, curativos, protetor solar, repelente, analgésico, antitérmico, remédio pra enjoo e antialérgico. Peço ao pediatra também, receita para a compra de antibiótico (levo daqui) e algum outro remédio que ele julgue importante. Caso haja necessidade, chame um médico e acione o seguro saúde. Nunca viaje sem ele.

Para as malas de mão prever sempre uma troca de roupa para a criança, fraldas, itens de higiene e coisinhas pessoais como chupeta, paninho e aquele brinquedinho especial que acalma nos momentos de choro. Vale levar umas surpresinhas também! Gosto sempre de comprar uns agrados (bala, chocolate, lápis de cor e livrinhos de colorir ou brinquedinhos baratinhos) e embalar pra presente. Na hora do desespero isso surpreende e entretém por um tempinho.

Vale levar também uma muda de roupas pra você. Vai que ocorre um acidente com a fralda e terá que viajar o restante do tempo cheirando a xixi, ou ainda, coisa pior.

No caso das malas de mão, para qualquer passageiro é proibido embarque com líquidos, cremes, géis e afins, se armazenados em embalagens com capacidade superior a 100 ml. Para crianças de até dois anos algumas cias aéreas aceitam embarque de líquidos com volume superior a 100ml, tipo mamadeiras e alguns tipos de papinha. Mas novamente, vale sempre checar antes.

Lanchinhos práticos são sempre bem-vindos também. Levem biscoitos, salgadinhos e sucos (com menos de 100ml) para segurar a fome entre as refeições no avião. Para os bebês papinhas industrializadas e o leite em pó são indispensáveis.

Saúde e bem estar na viagem

Como alguns destinos podem não ter uma estrutura adequada para crianças, é importante ter sempre a mão álcool gel e lenços umedecidos para uma limpeza rápida nas mãozinhas antes da refeição ou após o uso do banheiro.

Optem sempre por água mineral, nunca se sabe as impurezas que a água pode ter né?

Não se esqueçam do protetor solar! Assim como na cidade, o uso do protetor é recomendado para qualquer tipo de exposição ao sol. Cuidado redobrado com a praia e a neve, pois, a incidência de raios é muito maior. Vale usar também de artifícios como bonés, chapéus e roupas com proteção solar.

O uso de repelente também é indicado. Sempre usando produtos de acordo com a faixa etária do seu filhote.

Uma dica bacana para a segurança de nossas crianças é o uso de identificação para facilitar em caso de perda. Eu uso pulseiras de identificação (daquele tipo que ganhamos em shows que são descartáveis e podem molhar), mas existem inúmeros modelos no mercado. Existem tatuagens, pulseiras com GPS e o bom e velho crachá. O importante é ter sempre o nome da criança, endereço de onde estarão e o telefone de contato.

Documentação

Assim como os adultos, as crianças precisam de documentos válidos para qualquer viagem no Brasil e exterior.

Dentro do Brasil os documentos aceitos são:

  • Certidão de nascimento
  • Carteira de identidade
  • Passaporte

Ainda existem variantes de acordo com a idade e com quem a criança viajará:

  • Crianças de até 12 anos incompletos podem viajar pelo Brasil com parentes de até terceiro grau (pais, irmãos, tios e avós), sem necessidade de autorização judicial. Para tanto, o responsável que acompanha a criança deve comprovar o parentesco ou filiação, por meio da apresentação da Certidão de Nascimento da criança.
  • Crianças de até 12 anos incompletos, para viajar com um maior que não seja parente de até terceiro grau, precisam apresentar documento válido de identificação e autorização dos pais (ou responsáveis legais) com firma reconhecida em cartório.
  • Crianças de 2 a 12 anos incompletos quando preciso, já podem fazer viagens nacionais desacompanhadas. Para isso, é necessário apresentar documento válido de identificação, autorização dos pais (ou responsáveis legais) com firma reconhecida em cartório e autorização da Vara da Infância e da Juventude.

Para viagens internacionais o documento necessário é o passaporte válido, assim como visto do país de destino, quando necessário.

Para países do Mercosul não é obrigatório a apresentação de passaporte, basta apresentar carteira de identidade (RG) recente.

Além disso, para que um menor saia do país é necessário que todos os seus responsáveis legais (genitores, guardiões ou tutores) que não o acompanham na viagem o autorizem, conforme a Resolução N. 131/2011 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

Existem também variantes nesse caso:

  • Para que as crianças e adolescentes viajem para o exterior acompanhadas de ambos os pais, é necessário comprovar a filiação, por meio da apresentação de documento de identificação válido.Os passaportes nacionais emitidos antes de 24 de novembro de 2014 tinham a falha de não apresentar informações sobre filiação, sendo necessário apresentar documento adicional (como Certidão de Nascimento ou RG). Quem viaja com passaportes emitidos após essa data, já com a nova informação incluída, não precisa apresentar documentos adicionais que comprovem a filiação.
  • Quando algum dos pais ou responsáveis legais não viaja junto com a criança ou adolescente, precisa autorizar a viagem expressamente, nos termos da Resolução N. 131/2011 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
  • Quando nenhum dos pais ou responsáveis legais viaja com a criança ou o adolescente, ambos devem autorizar a viagem expressamente, nos termos da Resolução N. 131/2011 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Além disso, em alguns casos, é necessária também uma autorização judicial emitida pelo Juiz da Comarca onde o requerente reside:

– Quando a criança (menor de 12 anos) for viajar sozinha (sem um adulto autorizado);

– Quando um dos genitores está impossibilitado de dar a autorização, por razões como viagem, doença ou paradeiro ignorado;

– Quando a criança ou adolescente nascido em território nacional viajar para o exterior em companhia de estrangeiro residente ou domiciliado no exterior.

Para obter esta autorização judicial, consulte o Ofício da Infância e Juventude do Fórum da região de sua residência.

Como essas normas e regras mudam constantemente, e variam também dependendo do destino, é sempre válido consultar a Polícia Federal, o Conselho Nacional de Justiça, o Consulado Brasileiro e o Estatuto da Criança e Adolescente.

Bom Mommys, acho que já deu pra começar a animar a viajar com as crianças não é? Nos próximos posts teremos mais dicas, roteiros mundo afora e muita troca de experiências e vivências!

Beijo grande

Sobre mim: Sou Carol, mãe do Carlos Eduardo (Cadu) de 5 anos e da Luísa (Lulu) de 3 anos. Arquiteta que abriu mão da carreira pra ser mãe em tempo integral (provisoriamente). Apaixonada por explorar e conhecer novos lugares. Quero viajar o mundo! Pra mim a viagem começa muito antes da partida. Amo programar, pesquisar e detalhar cada lugar que vou independente de ser um hotel fazenda aqui pertinho ou uma trip pela Ásia (sonho)! Sou Disneymaniaca e apesar de já ter ido inúmeras vezes ainda acho “The happiest place in the world”. Ter filhos mudou meu jeito de viajar, mas não me impediu de fazer ótimos passeios e ter a oportunidade agora de conhecer o mundo através de seus olhinhos inocentes. Acredito que com programação e organização podemos ir a qualquer lugar com os pimpolhos, mas sou dessas que, às vezes, os deixa pra curtir só com o marido também. O importante é viajar!